Arte e memória.

Acredito que a fotografia é o disparador da memória. Por isso crio narrativas fotográficas que convidam o observador a se deslocar no tempo – uma pausa, um sonho, uma lembrança, um sentimento – misturando memórias, histórias e desejos. 

Porque a fotografia nos ajuda a lembrar, mas tambem nos faz sonhar. Olhar um álbum de fotografias é passear por nossas lembranças – uma chance de reviver as emoções, cores e cheiros de um momento fugidio, preservado ali, no papel. 

Minha fotografia é essencialmente intuitiva. Não parte de roteiros pré-determinados, mas de meu mundo interior e da relação entre minhas sensações e o espaço exterior, numa busca constante pelo que há de poético e belo na vida.

Sou muito grata a todos que confiaram em mim para contar suas #históriasdeamor.

Sou fotógrafa, artista visual e curadora.

Escrevo histórias desde os 8 anos, fotografo desde os 15. Aos 16 morei um ano no Canadá e lá decidi viver da fotografia. Sou formada em jornalismo, fotografei para jornais, revistas e clientes corporativos. Estudei história da arte, história da fotografia, desenvolvi projetos autorais e participei de grupos de estudo. Frequentei, como aluna especial e como aluna ouvinte, alguns cursos do mestrado em Poéticas Visuais da Escola de Comunicação e Artes da USP. Escrevi durante 7 anos sobre minha experiência em fotografar casamentos no blog Diga Sim. Há 11 anos fotografo histórias de amor e foi fotografando casamentos que aprendi muito sobre narrativa e edição. Sou professora e palestrante, adoro compartilhar com outros fotógrafos minha experiência e conhecimento. Desde 2016 cuido da curadoria da galeria Saudades

Acredito:

  • na arte como peça fundamental da experiência humana
  • na fotografia como catalizador da memória e na importância de se preservar a própria biografia
  • na importância de se sonhar cotidianamente
  • na experiência de viajar como forma de reconhecer e valorizar a própria história conhecendo e se conectando com o outro
Using Format